sábado, 22 de agosto de 2009

Música x Textos

Em um desses raros momentos de entrar na net e ainda não ter recebido resposta dos e-mails enviados, o orkut não ter nada de novo, e ainda o pior de tudo: O "um que tenha" ter saído do ar (alguém sabe o que aconteceu???) resolvi dar uma conferida em um dos meus blogs favoritos: Frenesi. Dei risadas, fiz comentários e fui conferir outro blog de que gosto muito: roendo unhas. Daí lembrei que a Bárbara reclamou "você nunca atualiza seu blog!" É. Não sou o que pode se chamar de "bloguera" ou algo assim... Entro na net só pra conferir mensagens e baixar músicas (o que tá sendo um INFERNO agora sem meu site favorito... =S)

Em fim, resolvi fazer também um "diário" das minhas pálas e reflexões, talvez assim vocês façam comentários quando passarem por aqui e não só na rua quando me encontrarem...

Estou passando por uma numa fase (espera-se que permanente) super musical. Tomo banho escutando música, dirijo, como, estudo, leio e quando por algum motivo fico sem música (por exemplo quando volto do trampo e são malditas 19h e eu estou sem o pendrive), parece que vou enlouquecer de solidão!!! Ou de tédio... o que vier primeiro. Talvez por isso começo a sentir meus textos inadequados ou apenas me sentir estéril. Lembram daquela propaganda de cursinho de inglês que o cara estava no avião e quando ele abria a boca pra falar o vocabulário dele ia pulando de paraquedas? É mais ou menos isso... Sabe aquela sensação de vomitar que se tem quando senta no pc e libera toda aquela raiva da conversa de hoje de tarde que você se controlou? Pois é... Sempre pensava "ah cretino... quando eu chegar em casa você vai ver!" Daí chegava em casa escrevia qualquer coisa que me libertasse e pronto! Ficava por isso mesmo. Mas parece que não mais.

Percebi isso no dia da roda de samba, quem foi vai lembrar, quando eu comecei a recitar um texto que eu escrevi em um momento de muita raiva. Antes de começar o show, além de nervosa eu estava furiosa com algumas coisas e pra nao estragar tudo, mordi a língua e esperei pra soltar tudo no texto. Só que na hora eu entendi. Ele nao comportava a minha dor, a minha angústia, a minha raiva... Me deu um nó na garganta e uma vontade de chorar. Eu sei, podia ter chorado e pagado de atriz ainda! heheh mas o texto não comportava. Ele era sínico, não cabiam lágrimas. Sabe aquela sensação de fechar a boca até encontrar um saco de vômito e quando você está finalmente pronta percebe que o raio do saco tá furado? Foi tipo isso. O que fazer? É nojento o que eu vou falar mas é a verdade: engolir tudo e sorrir! No caso até funcionou, mas e agora? Onde jogo as minhas emoções? Eu não bebo pra poder alucinar e dar desculpa de "não lembro de nada" ou "eu tava bêbada"...

Em virtude disso tomei uma decisão muito séria e quero anunciar publicamente que a partir de hoje além de cantora eu também vou ser compositora. Talvez seja isso que me falte: o casamento da melodia com as palavras. E eu vou arriscar. Já escrevi várias cancoes mas sempre rasgava e jogava tudo fora, agora penso diferente: nao posso escrever nada bom sem ter escrito algo bem ruim antes. Afinal, Choro Bandido nao foi a primeira cancao do Chico correto? Certo que deve ter sido alguma coisa linda porque afinal... Bom, eu nao sou o Chico. A boa notícia é que essa semana já me vieram duas idéias de cancoes! E a má é que ainda estou na fase "bem ruim"...

3 comentários:

Bárbara Ribeiro disse...

Uau!!! Compositora também... agora ninguém segura! Vai deslanchar Nai!
Nome não viu?! Adoro te ler. rs.
Beijo

Gabriel Leite disse...

Eu acho incrível quem consegue compôr. Não entendo como algumas melodias podem surgir, tão lindas! Ansioso por ouvir suas criações.
Beijos

Naiara Morena disse...

Vamos ver né?! Um passo de cada vez... bjo procês!